2017@phelanmcdermidbrasil

Famílias

O Texto abaixo foi extraído de uma home-page da Cerebral Palsy Association of Western Austrália Ltd. por Emily Perl Knisley, 1987 e traduzido pela Dra. Mônica Ávila de Carvalho, mãe de Manuela, em Cambuquira, Minas Gerais, em 30/12/95.

BEM VINDO À HOLANDA 

Ter um bebê é como planejar uma fabulosa viagem de férias - para a ITÁLIA! Você compra montes de guias e faz planos maravilhosos! Ah! O Coliseu, o Davi de Michelângelo, as gôndolas em Veneza. Você até tenta aprender algumas frases em italiano. É tudo muito excitante.


Após meses de ansiedade, finalmente chega o grande dia! Você arruma suas malas e embarca. Algumas horas depois você aterrissa. O comissário de bordo chega e diz:
- BEM VINDO À HOLANDA!
- Holanda!? - Diz você. - O que quer dizer com Holanda!?!? Eu escolhi a Itália! Eu devia ter chegado à Itália. Toda a minha vida eu sonhei em conhecer a Itália!


Mas houve uma mudança de plano de vôo. Eles aterrissaram na Holanda, e é lá que você deve ficar. A coisa mais importante é que eles não te levaram a um lugar horrível, desagradável, cheio de pestilência, fome e doença. É apenas um lugar diferente. Logo, você deve sair e comprar novos guias. Deve aprender uma nova linguagem. E você irá encontrar todo um novo grupo de pessoas que nunca encontrou antes.


É apenas um lugar diferente. É mais baixo e menos ensolarado que a Itália. Mas após alguns minutos, você pode respirar fundo e olhar ao redor, começar a notar que a Holanda tem moinhos de vento, tulipas, Rembrandt e Van Gogh. Mas, todos que você conhece estão ocupados indo e vindo da Itália, estão sempre comentando sobre o tempo maravilhoso que passaram lá. E por toda sua vida você dirá:
- Sim, era onde eu deveria estar. Era tudo o que eu havia planejado!

 

E a dor que isso causa nunca, nunca irá embora. Porque a perda desse sonho é uma perda extremamente significativa. Porém, se você passar a sua vida toda remoendo o fato de não ter chegado à Itália, nunca estará livre para apreciar as coisas belas e muito especiais sobre a Holanda. 

Queremos com esse texto recebê-los com um abraço bem apertado, e dizer que todos nós que hoje fazemos parte do AFSPM - Amigos e Familiares da Síndrome de Phelan-McDermid, também já passamos pelo que hoje você está passando. É um rumo novo? É uma nova descoberta? Sim é.

E por isso hoje, com muito orgulho, amor, vontade de saber cada vez mais, estamos todos juntos nessa Holanda, para unidos um dia, quem sabe, irmos ali dar uma voltinha na Itália.